FOTOS: Cinara Dreide - Assessora de Comunicação

Histerectomia transvaginal também é feita na FHMMF

A paciente Edleuza Aprígio de Souza, 33 anos, morada do bairro Primavera, passou pelo novo procedimento e passa bem. “Estava há 6 meses com hemorragia por causa dos miomas que estavam em meu útero. Só foi retirado o útero e daqui a pouco estou indo pra casa” – disse a paciente.

O procedimento foi realizado pelos médicos: Dr Cristóvam Miranda​ e Dr Leonardo De Vasconcelos Dias​. “Fizemos o curso em Londrina. A cirurgia é realizada via vaginal na ausência do prolapso uterino. Esse é mais um marco na história de Pirapora. Pode ser realizada em 98% dos casos de doença uterina” – declarou Dr. Cristóvam Miranda​.

Apesar de ser uma formação benigna, sem risco de evoluir para um câncer, o mioma é responsável por 90% das cirurgias de retirada de útero, a chamada histerectomia. No SUS, a histerectomia é a segunda cirurgia mais freqüente entre as mulheres em idade reprodutiva, só perdendo para as cesáreas.

Como é feita a histerectomia vaginal?

É um procedimento cirúrgico para remover o útero através da vagina. Durante uma histerectomia vaginal, o cirurgião separa o útero dos ovários, trompas de Falópio e da parte superior da vagina, assim como o separa dos vasos sanguíneos e do tecido conjuntivo que o suporta. O útero é então removido através da vagina.

A histerectomia vaginal envolve um menor tempo no hospital, menor custo e uma recuperação mais rápida do que uma histerectomia abdominal, que exige uma incisão na parte inferior do abdômen.

A histerectomia vaginal utiliza o canal da vagina como via de acesso para a retirada do útero, mesmo na ausência do prolapso (ou descida) do órgão.
Este método de histerectomia reúne como principal atrativo às pacientes, um baixíssimo índice de complicações e uma recuperação excelente, em curto espaço de tempo. Isto pode ser explicado pelo fato da vagina ser um orifício natural do organismo, e o acesso ao útero não incluir a abertura ou corte de planos musculares, mas apenas da mucosa vaginal, que possui baixo limiar de dor e alto potencial de cicatrização. Além disso com a histerectomia vaginal não há cicatrizes aparentes.

A anestesia utilizada para histerectomia vaginal é o bloqueio anestésico peridural e raquiano. O tempo cirúrgico é de 1 a 2 horas, com hospitalização de 24 horas. A recuperação está em torno de 5 a 7 dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *